Inusitado: Mulher leva idoso morto para fazer prova de vida em banco

Uma mulher de 58 anos é investigada pela Polícia Civil de Campinas por tentativa de estelionato e exposição de cadáver. O caso aconteceu no dia 02 de outubro em uma unidade do Banco do Brasil, na região central de Campinas (SP)

Segundo informações repassadas, a mulher teria levado seu suposto companheiro, de 92 anos, para fazer a prova de vida para recebimento da aposentadoria. O detalhe é que o homem identificado Laércio Della Colleta já estava morto havia pelo menos 12 horas.

A ida ao banco era porque ela precisava de uma nova senha de letras para acessar a conta bancária do marido, com quem ela alegou estar casada havia 10 anos, pois tinha esquecido a anterior. Como precisava fazer a comprovação de que ele estava vivo, já que não tinha procuração, levou o homem ao local.

Foi quando um dos atendentes estranhou a situação e notou que Laércio estava morto. O funcionário do banco pediu a ajuda de um bombeiro civil da própria agência, que também constatou o óbito.

Para a polícia a mulher afirmou que havia conversado com o suposto marido pela manhã e tinham falado de seguirem até o banco para fazer a prova de vida. Ela ainda disse que o aposentado estava bem de saúde, mas começou a ficar debilitado há um mês. Segundo a Polícia Civil, a mulher chegou a entrar em contradição quanto à última vez que conversou com o marido e também teria dito que havia comprado a cadeira de rodas no dia anterior. Como não havia o exame que comprovava quanto tempo o homem estava morto, ela acabou sendo liberada.

Portal Hortolândia